terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Centenário do desembargador Luiz Sílvio Ramalho será comemorado em fevereiro

Lenilson Guedes

 

O Tribunal de Justiça da Paraíba, através da Comissão de Cultura e Memória do Poder Judiciário, vai dar inicio no dia 12 de fevereiro a uma série de homenagens a cinco desembargadores, e um ministro, que se estivessem vivos estariam este ano comemorando o primeiro centenário de suas vidas. O primeiro homenageado será o desembargador Luiz Sílvio Ramalho, que teria feito cem anos de idade, no dia 10 deste mês.

O homenageado nasceu no Sítio Macambira, Distrito de Bonito de Santa Fé, tendo sido registrado como filho natural de Conceição, onde seus pais, José Ramalho Leite e dona Benânia, residiam. Foi primeiro juiz em Florânia, no Rio Grande do Norte, e ingressou na magistratura da Paraíba como Juiz de Direito da Comarca de Bonito de Santa Fé, nomeado a 8 de agosto de 1940. Presidiou a Corte de Justiça de 1970 a 1972 e integrou o Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba, tendo sido presidente.

O filho, o desembargador Luiz Sílvio Ramalho Júnior, foi o único que seguiu a carreira do pai, tendo sido também presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba, no período de 2009/2010. “Meu pai e minha mãe sempre foram espelhos pra mim”, disse.

“Eu acredito muito no destino. Deus nos põe no caminho. É tanto que entre meus irmãos, dois são médicos e só eu segui a carreira de meu pai e, coincidentemente, tenho o mesmo nome de meu pai. Isso me honra demais. Tenho algo do destino nisso. Eu não tinha esse sonho de ser magistrado, mas por orientação dele, segui sua carreira e sei que foi o melhor que poderia acontecer para mim”, lembrou.

Ramalho Júnior lembra que foi na gestão de seu pai, que a primeira lei de Organização Judiciária (LOJE) foi aprovada pelo Tribunal de Justiça da Paraíba. Foi em sua gestão e ele participando como presidente da Comissão.  ”Ele lutou muito pela interiorização da Justiça, com a construção de fóruns prestigiando a Justiça de primeiro grau”, comentou.

O desembargador Luiz Sílvio Ramalho foi casado com a dramaturga e poetisa Lourdes Ramalho, várias vezes premiada no país com peças de sua autoria no segmento do Teatro Popular. O Fórum da Comarca de Piancó tem o nome do desembargador Luiz Sílvio Ramalho.

“Ele era um excelente pai, um bom filho, um bom amigo e irmão, tendo sido um homem que harmonizava bem até últimos dias de sua vida. Sempre tratava a todos com respeito. E nunca foi um juiz autoritário, sempre foi um magistrado justo e bom”, acrescentou Luiz Silvio Ramalho Júnior.

About the Author

Lenilson Guedes / Author & Editor

Has laoreet percipitur ad. Vide interesset in mei, no his legimus verterem. Et nostrum imperdiet appellantur usu, mnesarchum referrentur id vim.

0 comentários:

Postar um comentário